Voltar

Previdência: corretores devem ficar atentos

Corretores devem ficar atentos ao novo perfil de quem contrata planos de previdência privada aberta. Isso porque o novo cenário na economia está tornando menos conservadores esse investidores. Segundo o presidente da FenaPrevi, Jorge Nasser, a trajetória de juros baixos tem exercido forte influência na estratégia de alocação das reservas dos planos de previdência privada pelos participantes. "Eles estão buscando fundos de maior risco e rentabilidade", revela o executivo.

Segundo a FenaPrevi, os participantes estão se deslocando gradativamente para fundos multimercado em busca dessa maior rentabilidade. Dados da federação revelam que, até maio deste ano, 11,6% dos recursos foram alocados nesta modalidade.  O índice era de 10,2% em 2018; 8,1% em 2017; e 5,7% em 2016.

Os dados da federação mostram ainda nos cinco primeiros meses do ano o setor atingiu a marca de 13,2 milhões de pessoas com planos de previdência aberta, ou seja, mais de 6% da população já opta por esse tipo de proteção para o futuro.

Desse total, 10,1 milhões são participantes com planos individuais e 3,1 milhões com planos coletivos (oferecidos em forma de benefícios aos colaboradores, e planos contratados por sindicatos e associações de classes para adesão de seus associados). 

A FenaPrevi anuncia ainda que os planos de previdência privada aberta fecharam o mês de maio com R$ 873,1 bilhões em reservas, volume 11% superior registrado no mesmo período de 2018.

Até maio, as contribuições somaram R$ 45,7 bilhões, com crescimento de 3,7%.

CQCS (22/07/2019)