Voltar

Dono de Proteção Veicular é suspeito de aplicar golpes

O G1 noticiou nesta terça-feira (30), que quatro pessoas foram presas e 12 veículos apreendidos durante a Operação "Xeque-Mate" realizada em Juiz de Fora e Matias Barbosa. A ação foi deflagrada pela Polícia Civil após 8 meses de investigação para identificar adulterações de veículos. Uma das linhas de investigação identificou uma associação de proteção veicular que aplicava golpe em Juiz de Fora, o proprietário foi preso pela prática de estelionato, após cumprimento de mandado de prisão preventiva na cidade.

De acordo com a corporação, os policiais também encontraram uma arma de fogo com 6 munições, um computador, diversos documentos de carros e peças.

"Investigações apontaram que ele comprava peças roubadas, participava de alguns esquemas de adulteração de veículo. Ele foi detido pelas fraudes que praticava contra clientes, cerca de 18 vítimas até o momento", explicou o titular da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, Rogério Woyame.

Ele esclareceu ainda que as apurações indicam que o carro dessas vítimas muitas vezes era consertado com peças de ferro velho e de carros roubados. Segundo o delegado, o veículo de luxo do proprietário da associação foi apreendido na manobra e será encaminhado à Justiça. "Para servir de garantia para esses prejuízos gerados", detalhou.

Além disso, durante os levantamentos, a Polícia Civil também identificou dois suspeitos, presos na operação por negociação de armas de fogo e de peças de procedência duvidosa, após cumprimento de mandado de prisão preventiva. "São pessoas ligadas a peças que eram comercializadas para essa empresa e que estavam envolvidas na compra e na venda de arma de fogo e de comércio de peças ilegais de veículos", complementou.

A esposa de um deles também foi presa na residência do casal, que fica em Matias Barbosa, pois a arma foi encontrada nos pertences dela. De acordo com o delegado, outras possíveis vítimas podem procurar a unidade policial. "É importante que qualquer pessoa que foi lesada por essa empresa procure a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, que fica no Bairro Santa Terezinha, para representar contra a associação", finalizou.

CQCS