Voltar

Corretor pode aumentar ganhos atuando como AAI

Os corretores de seguros que optarem por diversificar seus negócios, atuando também como agente autônomo de investimento (AAI) podem aumentar significativamente o seu faturamento mensal. 

Segundo o portal ADVFN, especializado em mercado financeiro e bolsa de valores, a remuneração do AAI varia de acordo com o volume de investimentos realizados por seus clientes através da corretora de valores. O agente recebe uma comissão toda vez que o cliente negocia um valor mobiliário ou investe em algum título ou fundo de investimento.

O valor dessa remuneração depende de dois fatores: o potencial de captação de clientes e os termos do acordo firmado junto à corretora de valores mobiliários. 

Assim, quem consegue formar uma boa carteira de clientes garante uma expressiva remuneração mensal.

Hoje, há mais de 10 mil pessoas que foram aprovadas no exame de certificação de agente autônomo de investimento promovido pela ANCORD (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias).

Mas, embora a concorrência seja grande, o corretor de seguros pode levar considerável vantagem. Isso porque reúne as condições necessárias para se destacar como AAI e formar uma carteira sólida de clientes, incluindo o fato de apresentar características inerentes a um bom vendedor, ser reconhecido como alguém com profundo conhecimento e conhecer pessoas dispostas a investir parte de seu patrimônio através de sua assessoria.

ACORDO. 

Antes de começar a atuar como agente autônomo de investimento, é necessário firmar um acordo com alguma corretora de valores mobiliários, que deverá comunicar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a celebração do contrato, que irá estipular o valor da comissão que o agente receberá quando os seus clientes investirem através da corretora.

As condições contratuais variam sempre de acordo com o perfil da corretora de valores e com o potencial do agente em captar clientes.

Quando a corretora estabelece um contrato diretamente com o agente autônomo pessoa física, o valor da comissão varia entre 35% e 50%. Entretanto, quando o contrato é estabelecido com um agente autônomo pessoa jurídica, esse percentual pode chegar a 60%.

Há ainda a possibilidade de se associar a empresas de agentes autônomos de investimento – escritórios de representação de determinada corretora de valores. Neste caso, o valor da comissão negociada cai para 10% ou 20%. Mas, essa comissão reduzida pode ser compensada pelo pagamento de uma remuneração fixa.

CURSO. 

O primeiro passo para quem está interessado é participar do curso preparatório para agente autônomo de investimentos oferecido pela ENS.

Oferecido na modalidade online e de curta duração, esse curso prepara o candidato para a prova da ANCORD, além de formar e orientar os alunos para iniciar na função.

O conteúdo, baseado na bibliografia sugerida pela ANCORD, o que aumenta as chances e aprovação no exame dessa certificadora, inclui as seguintes matérias: a atividade do AAI, prevenção à Lavagem de dinheiro; Economia; Sistema Financeiro Nacional; Instituições e Intermediadores Financeiros; Administração de Risco; Mercado de Capitais – Produtos – Modalidades Operacionais – Liquidação; Fundos de Investimentos; Outros Fundos de Investimento Regulados pela CVM; Securitização de Recebíveis; Clubes de Investimentos; Matemática Financeira – Conceitos Básicos; Mercado Financeiro – Outros produtos não classificados como valores mobiliários; Mercados Derivativos.

O investimento é de R$ 360,00, valor que pode ser parcelado em até sete vezes no cartão de crédito. Há ainda desconto de 5% para pagamento à vista, no cartão de crédito.

Todas as informações e inscrições podem ser obtidas em ens.edu.br.

CQCS