Voltar

Com pandemia, dono de carro quer seguro mais barato

De acordo com dados levantados e analisados pela TEx, instituto de pesquisa sobre seguros, a pandemia levou os consumidores a mudarem seus costumes. O estudo mostra que a contratação de seguros mais enxutos, que cobre somente eventos de roubo e furto, aumentou 45% em novembro de 2020, em relação a março deste ano.

Segundo Genildo Dantas, gerente de inteligência de dados da TEx, esse aumento está relacionado à diminuição do poder aquisitivo, e também pela redução do deslocamento das pessoas devido ao período de quarentena e isolamento social.

Além disso, cresceu em 5% o total de clientes que parcela a contratação do seguro em 10 ou mais vezes. O índice agora é de 43% de todas as contratações.

O valor do seguro também se reduziu. O preço das renovações de seguro caíram em 15% durante a pandemia. Já para os seguros novos a redução foi menor, cerca de 5%.

Na opinião de Genildo, a queda dos preços só não foi maior porque as seguradoras trabalham com visão de longo prazo. "O preço de um seguro contratado hoje tem que levar em consideração a projeção para os próximos 12 meses, e ainda existe muita incerteza pela frente", conclui.

Houve mudanças também na quilometragem total rodada pelos entrevistados. Enquanto antes da pandemia os motoristas declaravam dirigir 1.440 km por mês, em junho de 2020 essa média baixou para 1.161 km (aproximadamente 20%).

 
 

CQCS