Voltar

As principais diferenças entre Corretor de Seguros e Banco na contratação de uma apólice de Seguro

Dorival Alves de Sousa

A maioria das pessoas que movimentam uma conta bancária já deve ter sido assediado pelo gerente da agência ou por um dos funcionários da própria agência oferecendo aplicações financeiras, empréstimos, cartão de crédito, financiamentos ou mesmo Seguros, sendo que as apólices de Seguros de Automóvel, Vida, Previdência e Capitalização são as mais disputadas.

Muita das vezes, até por comodidade, o cliente pode aceitar a proposta que o seu gerente está oferecendo e contratar uma apólice de seguro inclusive, pelo telefone, sem procurar outras opções… mas esse caminho pode não ser o mais recomendável.

Obviamente o banco não irá oferecer a melhor proposta. Muitas das instituições bancárias possuem uma seguradora ou trabalham em parceria com uma determinada seguradora, comercializando os produtos da tal seguradora.

Podemos destacar que esse é o primeiro ponto que o consumidor deve prestar atenção. Vejamos: um banco geralmente irá oferecer um seguro de uma única seguradora. Numa corretora de seguros, no entanto, o consumidor consegue visualizar e comparar os produtos de diversas seguradoras, proporcionando ao consumidor um leque de opções antes do fechamento do negócio.

Numa empresa corretora de seguros, o consumidor conseguirá também identificar e selecionar as coberturas e benefícios disponíveis em planos diferentes de uma mesma seguradora. Dessa forma o consumidor não ficará engessado em um único plano oferecido pelo gerente da agência do banco.

Outra diferença básica entre o gerente de banco e o profissional corretor de seguros é que o primeiro não tem a mesma competência profissional e expertise na área de seguros que o segundo. E é bastante lógico avaliar a qualificação profissional do corretor de seguros.

Enquanto o gerente do banco tem que cuidar dos assuntos financeiros, previdenciários, gerenciamento de contas, carteiras de seguro, investimentos e muito mais coisas, o profissional corretor de seguros terá seu conhecimento e especialização muito mais focado nas seguradoras e tipos de seguros que o consumidor pode contratar, podendo orientar o segurado, ora, consumidor, com mais profundidade e informações muito mais detalhadas.

Além disso, o consumidor deve levar em consideração o que acontece antes e depois de contratar uma apólice de seguro. A contratação em si é só o primeiro passo de todo o processo que o consumidor deve observar. É no pós-venda que podem acontecer problemas com a apólice de seguro, mudanças que podem gerar endossos, ou os tais famigerados sinistros.

Uma empresa corretora de seguros é o local responsável por ajudar o segurado a resolver seus problemas com seguros, de acordo com a SUSEP e demais órgãos regulamentadores. Vejamos que a corretora de seguros vai ajudar o segurado tanto durante a contratação do seu seguro como também no seu pós-venda, facilitando o seu contato com a seguradora.

Uma situação que merece destaque é quando o segurado bate o seu carro, com certeza o seu corretor vai ajudar o segurado e resolver os seus problemas de forma ágil e simples.

Outra diferença notável entre o Banco e a Corretora de Seguros é que o profissional Corretor de Seguros estará a disposição praticamente 24h e a instituição financeira apenas no horário comercial. Além do que, o gerente ou funcionários do banco vende um produto pré moldado, engessado, sem opções para os clientes, um produto de prateleira que não irá contemplar todas as coberturas que o cliente necessita para garantir seu patrimônio, ou garantir sua vida.

O consumidor deve está atento às condições de vendas, como por exemplo, no caso de venda casada. "A venda casada é totalmente ilegal, tanto no banco como em outro lugar, ela é repelida pelo poder judiciário. Não se pode vincular a compra de um produto ou serviço a outro, isso é vetado pelo ordenamento jurídico brasileiro".

SEGS (07/08/2019)